quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Do óleo de cozinha ao sabão

Projeto em São Luís ajuda a preservar o meio ambiente através da reciclagem do óleo de cozinha.


Em tempos de poupar o meio ambiente, a palavra de ordem é reciclar. Mas, você sabe como descartar o óleo de cozinha que já não pode mais ser utilizado? Em São Luís, um projeto de reciclagem deste resíduo visa dar uma destinação ambientalmente correta para o óleo de fritura e conscientizar os moradores quanto ao procedimento adequado. A iniciativa é da Prefeitura de São Luís em parceria com a Oleaginosas Maranhenses (Oleama) – empresa do segmento de produtos de limpeza – que recolhe o material coletado e o transforma em sabão.

Segundo a diretora da Oleama, Neide Oliveira, em seis meses, foram mais de 1.000 litros recolhidos. “São quase 10 pontos de coleta na cidade, entre condomínios residenciais, bares, hotéis e lanchonetes. A nossa meta é expandir o projeto para o interior maranhense nos próximos meses, incentivando as comunidades a efetivarem a coleta seletiva do óleo de cozinha”, disse Neide Oliveira.

Neide lembra também que o sucesso desse programa depende inteiramente da participação da comunidade. “O trabalho da Oleama não só impede que o resíduo chegue a um destino indesejado, como o transforma em algo útil: sabão”, completa.

Reciclagem gera benefícios

Diariamente, em milhões de lares brasileiros, o
óleo de fritura é jogado fora pela pia da cozinha. O ato,
muito comum, é aparentemente inofensivo. Mas os
impactos ambientais são de proporções trágicas.
Já parou para pensar para onde vai o óleo de cozinha que joga pelo ralo da pia? Pois ele seguirá para as redes de esgoto, que são despejadas, em sua maioria, em rios e mares, poluindo estes locais com uma película que impede a passagem de oxigênio.

O óleo usado contribui também para o entupimento da rede de esgotos, pois junto com outros detritos, ele cria placas que impedem o escoamento das águas. Além disso, para desentupir os encanamentos, são utilizados produtos altamente tóxicos que acabam prejudicando o meio ambiente.

Para que isso não aconteça, é necessário fazer a reciclagem do óleo de cozinha usado, que gera vários benefícios ambientais. O mais imediato é a preservação dos mananciais e lençóis freáticos utilizados no abastecimento público.

O químico industrial da Oleama, Alyson Pereira, explica que cada litro de óleo despejado no esgoto tem potencial para poluir cerca de um milhão de litros de água. “A impermeabilização da água causada pela camada de óleo mata tudo o que há de vivo dentro dela”.

Alyson diz também que além de causar danos à vida aquática, descartar o óleo inadequadamente na natureza, pode causar enchentes nas áreas urbanas, pois causa a impermeabilização do solo, além disso atrai pragas urbanas e danifica as redes de esgoto. “O descarte incorreto deste resíduo traz muitas conseqüências para o meio ambiente, por isso faz-se necessário reaproveitar este material de forma sustentável, seja na fabricação do sabão ou de qualquer outro produto”, ressalta o químico.

Processo
A cidade de São Luís é a terceira do país a aderir ao processo de coleta seletiva de óleo de cozinha em condomínios. A iniciativa no município começou a ser implementada em dezembro de 2009 nos condomínios da Rua do Aririzal - em função do grande número de condomínios situados naquela via - entre eles o Ferrazi, Madri, Valência II, Bouganville, Vilage das Palmeiras II e D’Italy IV. Em cada um foram instaladas, em local acessível, unidades receptoras com capacidade volumétrica de 25 litros para o recolhimento do óleo doméstico, que é feito semanalmente por equipes da Oleama.

Nos domicílios, foram distribuídos pela empresa mini-depósitos de 500 ml para que o óleo seja armazenado e transportado pelos moradores às unidades receptoras de seus condomínios. O projeto se expandiu. Hoje, restaurantes, bares, hotéis e lanchonetes já possuem também as unidades receptoras.

Transporte
O transporte do material coletado é feito por funcionários da Olema nos locais previamente estabelecidos, para a sede da empresa. Com a chegada do material, inicia-se o processo de transformação do óleo de cozinha usado em sabão, que passa pelas seguintes etapas:

• Decantação do resíduo sólido;
• Neutralização da acidez da gordura reciclável;
• Clarificação que é feita com argilas clarificantes. Esse processo dura cerca de 40 minutos;
• Filtragem para a retirada do resíduo;
• Segue para o laboratório onde é realizada a análise que determina o teor de soda livre, conforme o padrão estabelecido pela ANVISA;
• Fabricação de Sabão em barras;
• E finalmente é aplicado a fragrância. Além do sabão, o óleo de cozinha pode ser utilizado para produzir produtos de beleza, tintas, ração.

Você sabia que…
• Um único litro de óleo contamina centenas de litros de água?
• Ao alcançar a rede coletora de esgotos, o óleo cria uma barreira que impede a passagem de água, causando entupimentos e enchentes?
• Se chegar aos rios, o óleo impede a entrada de luz e a oxigenação na água, prejudicando a vida local?

Confira os pontos de coleta em São Luís
Bom Sabor
Cheiro Verde
Cabana do Sol
Café & Companhia
Condomínios da Rua do Aririzal
Hotéis Abeville, Luzeiros, Pestana e Skina Palace

Um comentário:

  1. Muito interessante a sua postagem, todos nós devemos contribuir para a proteção do meio ambiente. Esse projeto da Prefeitura em parceria com a Oleama precisa ser divulgado e estendido a todos os bairros de São Luís.

    ResponderExcluir